Câmara de Vereadores de Pantano Grande
FALE COM O COREDE/VRP
51 3717-7349
INSTITUCIONAL

12/03/2020 às 13:32
Com recursos da Consulta Popular, o município de Sinimbu inaugurou agroindústrias familiares

O município de Sinimbu realizou na tarde de ontem, dia 10, a inauguração de três agroindústrias, localizadas nas localidades de Linha São João e Linha Rio Grande. O ato representa mais um passo do município em direção a diversificação das propriedades, mostrando que é possível investir em outras atividades além do tabaco. Com a inauguração dos três empreendimentos e levando em consideração as outras quatro agroindústrias, que estão em fase de construção e implantação, e a já existente em Sinimbu, o município se aproxima cada vez mais do cumprimento de uma das metas do Plano Plurianual, que prevê a operação de oito agroindústrias familiares no município até o final de 2021.

Com a presença de autoridades locais e regionais, os empreendimentos foram inaugurados nas propriedades, com direito a visitação dos espaços e depoimento das famílias empreendedoras. A primeira agroindústria visitada foi a Ovos Coloniais São João, na localidade de Linha São João, de propriedade da família de Orlando, Marlise, Jarbas e Luciane Knobloch. Em seguida, foi a vez de inaugurar a agroindústria Embutidos Thier, na mesma localidade, sob comando de Jardel, Janete e Jairo Thier. O terceiro empreendimento inaugurado, em Linha Rio Grande, foi a Agroindústria Nossa Terra do casal Janice e Cristiano Hirsch.

Durante a inauguração, o extensionista rural da Emater de Sinimbu, Luis Fernando Marion, ressaltou a importância do trabalho do Corede junto a esses empreendimentos, destacando que o recurso para a implantação da maioria das agroindústrias em Sinimbu é oriunda da Consulta Popular. “Por menor que seja o valor, para nós rende muito. As nossas famílias tem garra e se formos juntos eles assumem os desafios”, frisou o extensionista.

A gerente Regional da Emater, Lúcia Souza, parabenizou as famílias por todo trabalho desenvolvido. “É muito bom vermos toda essa diversificação. A gente sempre lembra o inventivo do Governo do Estado através do Feaper. Sabemos que não é um valor alto, mas faz toda diferença”, relatou.

Já o presidente do Corede – Conselho Regional de Desenvolvimento – Vale do Rio Pardo, Heitor Petry, frisou que a inauguração das agroindústrias é um momento especial dentro do conceito do desenvolvimento. “Pequenas ações dentro do município geram renda e sustentabilidade as propriedades. É possível fazer coisas novas e simples com pequenas ações que transformam”, disse Petry.

A chefe do escritório da Emater em Sinimbu, Paula Sabrina Mallmann, frisou que está claro que além de ter o espírito empreendedor, essas famílias se tornam exemplos diante dos demais produtores rurais. “Sempre tem alguém que dá o primeiro passo e isso motiva as demais famílias. Diante do exemplo dessas famílias, as demais percebem que é possível investir em seu sonho”, completa.

O presidente da Câmara de Vereadores de Sinimbu, Ruben Preuss, saudou as famílias e parabenizou a Emater por incentivar e realizar esse trabalho junto aos agricultores do município. Por sua vez, o secretário de Agricultura de Sinimbu, César Zitzke, afirmou que o empreendedorismo das famílias que ontem inauguraram suas agroindústrias faz a diferença diante do desenvolvimento de Sinimbu e toda região.

O vice prefeito Claus Wagner também desejou sucesso as famílias e seus empreendimentos. Ele destacou a força de vontade e a persistência necessária para que as agroindústrias saíssem do papel, afirmando que é preciso determinação para alcançar os objetivos.

A prefeita de Sinimbu, Sandra Backes, falou sobre a sua satisfação em poder inaugurar três agroindústrias e estar concluindo outras quatro, salientando que o município está cumprindo um dos desafios e metas do Plano Plurianual. “São nesses pequenos empreendimentos que está o desenvolvimento do nosso município. Por isso tantas vezes insistimos para que a comunidade votasse e participasse da Consulta Popular. Por isso a nossa escolha e indicação sempre na agricultura familiar, pois com a Consulta Popular tivemos a oportunidade de auxiliar essas famílias com o Feaper e a concretização dos empreendimentos”, ressaltou Sandra.

REDE ELÉTRICA

Um dos pontos apresentados como dificuldades ainda enfrentadas pelas agroindústrias no município diz respeito a rede elétrica. Conforme as famílias Knobloch e Hirsch, a burocracia e a demora da RGE em transformar a rede existente nas localidades em trifásica, ocasiona algumas perdas e dificulta outros investimentos por parte das agroindústria.

Na Agroindústria Nossa Terra, por exemplo, diversos problemas com a câmara fria, responsável pelo resfriamento e conservação dos produtos, já foram ocasionados devido a instabilidade e baixa potência da rede elétrica. Cristiano conta que espera por melhorias para poder de fato utilizar o equipamento, frisando que com a atual rede não é viável ligar a mesma.

Orlando também destacou este ponto e destacou que a melhoria na rede elétrica beneficiaria toda a propriedade. Ele disse que, além dos equipamentos utilizados na agroindústria, a mudança da rede para trifásica beneficiaria os demais equipamentos elétricos utilizados na propriedades, sendo que poderiam inclusive instalar um misturador de ração. “Hoje, com a rede da maneira que está, não é possível instalar mais um maquinário destes, pois a rede não dá conta”, completa.

 

Sobre as agroindústrias

- Ovos Coloniais São João: agroindústria da família de Orlando, Marlise, Jarbas e Luciane Knobloch, com produção de ovos coloniais em Linha São João. Já possui licença de operação e já está operando com o SIM – Sistema Integrado Municipal.  Está encaminhado e aguarda liberação do SUSAF (Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial, Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte) para poder comercializar os ovos em todo o Estado. Foi construída e implantada com recursos do Feaper, via Consulta Popular 2017, em um valor superior a R$ 34 mil, além de investimentos próprios.

Iniciaram com produção de ovos para consumo próprio em 2012 e com o passar do tempo evoluíram para a comercialização do produto. Em 2017 iniciaram o planejamento da agroindústria junto com a Emater, sendo ela sendo construída em 2018 e iniciando as atividades em 2019. Atualmente contam com uma produção diária de cerca de 40 dúzias de ovos. Destaca-se que a agroindústria é pioneira na região em ter um Qr-Code no rótulo das embalagens de ovos, através do qual é possível obter todas as informações sobre a agroindústria.

- Embutidos Thier: agroindústria de linguiças, salsichão e embutidos de Jardel, Janete e Jairo Thier, em Linha São João. Assim como a Ovos Coloniais São João, já possui licença e está operando com o SIM, aguardando a liberação do SUSAF. Também já encaminhou a inclusão para o Programa Estadual de Agroindústria Familiar. Foi construída com investimento próprio superior a R$ 100 mil.

Jairo já trabalha há mais de 20 anos fazendo linguiça, porém a agroindústria começou a tomar forma há cerca de quatro anos. Atualmente a família produz cerca de 600 quilos de linguiça e salsichão por semana, sendo que os embutidos devem começar a ser produzidos em breve.

- Agroindústria Nossa Terra: agroindústria de processamento vegetal, de propriedade do casal Cristiano e Janice Hirsch em Linha Rio Grande. O carro chefe do empreendimento são o aipim e os doces de frutas em geral. Está pronta, com licenças aprovadas para a operação e comercialização dos produtos. Foi construída e implantada com investimentos do Feaper, via Consulta Popular 2017, num total de R$ 53 mil, além de investimentos próprios.

O casal iniciou o planejamento e implantação da agroindústria ainda em 2015, sendo que na época já forneciam aipim para alimentação escolar no município. Poder entregar o produto dentro das normas foi o que motivou ainda mais Cristiano e Janice para que formalizassem a agroindústria. Atualmente comercializam o aipim congelado e produzem conservas e geleias, além do artesanato rural feito por Janice.

 

Outros empreendimentos

Além das agroindústrias inauguradas, o município já conta com a Agroindústria Pranke.

O empreendimento de cucas e panificados, localizado em Rio Pequeno, é de propriedade de Iria Pranke e já está em operação desde 2013, implantada com recursos do Feaper, via Consulta Popular do ano de 2012.

O município segue também com a implantação de outros quatro empreendimentos. Veja abaixo:

- Morangoetze: agroindústria de polpa de morangos e sucos, de propriedade de Aloísio Goetze, localizada na localidade de Paredão Felipe Nery. Está aguardando a liberação de recursos via Consulta Popular de 2018 e 2019, somando mais de R$ 58 mil para finalizar a construção. Já está com projeto elaborado e aprovado. Atualmente já conta com a produção de morangos em estufas, através de investimento próprio.

- Agroindústria Branca: investimento sendo feito pelas famílias Spiegel e Carvalho na Linha Branca. O recurso já está liberado e a agroindústria encontra-se em fase de construção, com previsão de conclusão em maio de 2020. Deve iniciar as atividades com a comercialização do produto no final deste ano. Agroindústria sendo implantada com recursos do Feaper, via Consulta Popular de 2018, em um total superior a R$ 56 mil.

- Agroindústria Padilha: empreendimento da família de Guilherme Padilha na Linha Carvalho. A agroindústria de processamento vegetal está aguardando a liberação sanitária e ainda não está em operação. Está sendo implantada com recursos do Feaper, via Consulta Popular de 2014, em um total superior a R$ 52 mil.

- Agroindústria de Panificados: em breve também estará em atividade a agroindústria de panificados da família de Marceli Pitrowsky Heen. O empreendimento está em fase de estruturação.


Autoridades e imprensa presente

A inauguração contou com a presença da prefeita Sandra Backes; vice e também secretário Municipal de Obras, Claus Wagner, secretário Municipal de Agricultura, Indústria, Comércio e Meio Ambiente, Cézar Ziztke; secretário Municipal de Administração, Finanças e Planejamento, Carlos Backes Filho; secretário Municipal de Saúde e Bem Estar Social, Plínio Weigel; presidente da Câmara de Vereadores, Ruben Preuss; vereador Félix Weis; chefe do Escritório da Emater de Sinimbu, Paula Sabrina Mallmann, e demais integrantes do escritório local, Luis Fernando Marion, Francisco Pozzer e Bernardo Zanus; gerente Regional da Emater, Lúcia Souza; a supervisora da Regional da Emater, Marines Rosali Bock; presidente do Corede Vale do Rio Pardo, Heitor Petry; e o integrante do Comude de Sinimbu, Iraldo Backes. A imprensa também esteve presente através do Jornal Tribuna Popular, com a repórter Caroline Vogt; Rádio Santa Cruz, com comunicador Jacson Zitzke; e Jornal Gazeta do Sul, com o repórter João Caramez e a fotógrafa Rafaelly Machado.


Fonte: http://www.sinimbu.rs.gov.br/


Municipios
Venâncio Aires Santa CRuz do Sul Vera Cruz Sinimbu Herveiras Vale do Sol Passa Sete Segredo Sobradinho Arroio do Tigre Tunas Boqueirão do Leão Mato Leitão Passo do Sobrado General Camara Encruzilhada do Sul Vale Verde Pantano Grande Rio Pardo Candelaria Lagoa Bonita do Sul Ibarama Estrela Velha
Clique sobre o mapa do seu município para visualizar mais informações